uisque celtic renewables biocombustivel biobutanol

Empresa escocesa abastece automóveis com uísque

Companhia produz álcool combustível a partir de rejeitos da produção da tradicional bebida alcoólica

WM1 / 14/07/2017 às 14:30

A Europa definiu para 2050 a meta de reduzir em 80% as emissões de poluentes dos seus automóveis e, para atingi-la, as montadoras estão investindo bilhões de dólares no desenvolvimento de motores a combustão mais eficientes e, mais que isso, veículos elétricos e híbridos. Mas as iniciativas não ficam apenas nisso e incluem ideias mais inusitadas para poluir menos, focando o reaproveitamento de materiais transformados em combustíveis renováveis.

Uma empresa da Escócia chamada Celtic Renewables, baseada em Edimburgo e comandada pelo pesquisador Martin Tangney (foto acima), anunciou que está trabalhando para transformar o material resultante da produção de uísque em destilarias, normalmente descartado, em combustível – mais precisamente, biobutanol, uma alternativa ao diesel e à gasolina que, de acordo com a companhia, pode abastecer os motores sem a necessidade de nenhuma modificação.

De acordo com a Celtic Renewables, o biobutanol pode, a médio prazo, substituir milhões de litros dos combustíveis derivados do petróleo, evitando a emissão na atmosfera de milhões de toneladas gás carbônico, um dos principais gases causadores do efeito estufa.

A matéria-prima para fabricar o biobutanol, que nada mais é que um álcool produzido a partir de biomassa, ou matéria orgânica (como o nosso etanol), é proveniente da cevada restante do processo de destilação e de uma espécie de fermentado que sobra na fabricação do uísque. Cerca de 90% dos ingredientes usados para fazer a bebida alcóolica, o produto mais conhecido da Escócia, são normalmente jogados fora após o fim do processo e, com isso, poderão ser reaproveitados.

A empresa utiliza um processo de fermentação centenário para extrair o álcool combustível dos rejeitos da produção do uísque, somados a técnicas modernas patenteadas pela Celtic Renewables. Desde 2009, o governo do Reino Unido reconhece o butanol como biocombustível, podendo ser utilizado normalmente em veículos da Grã-Bretanha.

A razão pela qual o biobutanol não exige modificações no motor na comparação com os nossos carros flex é que o poder energético desse biocombustível é bem semelhante ao da gasolina e do diesel. Com isso, afirma a empresa de combustíveis renováveis, não há comprometimento em performance e consumo.

Com combustível de alta octanagem correndo pelas veias, a equipe de jornalistas do WM1 está sempre acelerando em busca das informações mais relevantes para quem está à procura do melhor negócio ou é apenas mais um aficionado por carros!

Matérias relacionadas