Ford Fiesta também pode ganhar versão RS

Veja a projeção de como seria a versão mais apimentada do hatch, que acaba de ganhar nova geração na Europa

WM1 / 13/07/2017 às 12:15

A nova geração do Fiesta ficou maior e mais tecnológica na Europa e, infelizmente, hoje seu lançamento no Brasil não está nos planos da Ford. Lá fora, o hatch compacto terá a partir do começo de 2018 a versão esportiva ST, trazendo uma variação do motor 1.5 de três cilindros recentemente lançado aqui para o EcoSport 2018, porém sobrealimentado com turbo e equipado com injeção direta de combustível.

Na configuração ST, o Fiesta entrega saudáveis 200 cv de potência e 29,5 kgf.m de torque, números suficientes, de acordo com a fabricante, para acelerar de zero a 100 km/h em 6,7 segundos – dois décimos de segundo que o Fiesta ST de geração anterior, que trazia motor 1.6 turbo de quatro cilindros e 182 cv. Que tal se a Ford lançar uma variante ainda mais forte, com o emblema RS, como acontece com o Focus?

Mostramos aqui uma projeção da agência "Automedia" de como seria o Fiesta RS, trazendo elementos do Focus de mesma configuração, como asa traseira presa na extremidade superior da tampa do porta-malas, logotipo RS na grade dianteira, rodas pintadas de preto e carroceria azul-clara.

O Focus RS traz o mesmo motor 2.3 de quatro cilindros turbo Ecoboost do Mustang de entrada, rendendo 350 cv e 35,69 kgf.m, enviados às quatro rodas via transmissão manual de seis marchas. O Fiesta correspondente seria com certeza menos potente, com cavalaria em torno de 250 cv, que poderia ser extraída de um motor 2.0 turbo – o Fusion Ecoboost traz propulsor tetracilíndrico com essa configuração, ajustado para entregar 248 cv no sedã executivo. Também haveria a possibilidade de extrair mais potência do motor 1.5 Ecoboost usado no Fiesta ST.

Como no ST, o Fiesta RS deve contar com tração dianteira, câmbio manual de seis velocidades, vetorização de torque para prevenir as saídas de frente em curvas rápidas e três modos de condução, do mais civilizado ao mais esportivo, que alteram os ajustes do controle de tração, do pedal do acelerador, da assistência elétrica da direção e da abertura das válvulas de escape.

Com combustível de alta octanagem correndo pelas veias, a equipe de jornalistas do WM1 está sempre acelerando em busca das informações mais relevantes para quem está à procura do melhor negócio ou é apenas mais um aficionado por carros!

Matérias relacionadas