Newsletter
Share

Redes Sociais


(Frankfurt/Alemanha) Na última edição do Salão de Detroit, nos Estados Unidos, as protagonistas da ‘festa automotiva’ foram as picapes – na realidade, as picapes superpesadas, chamadas ‘heavy duty’. No Salão de Frankfurt, no entanto, elas são totalmente coadjuvantes e passam completamente desapercebidas. Para se ter uma ideia, entre os mais de 1.000 veículos expostos, apenas três são picapes. São elas:

FORD RANGER

Escondida em um cantinho do estande da Ford, a Ranger apresentou sua nova cara. Na realidade, a picape média passou por uma leve reestilização para se adequar ao novo ‘DNA visual’ da marca de origem norte-americana. A grade dianteira é maior (formato trapezoidal), e agora se funde com os novos faróis. O para-choque também foi redesenhado, apresentando um visual mais imponente. Lateral, traseira e interior passaram por pequenas alterações – muitas imperceptíveis.

De acordo com a Ford, o mercado receberá a nova Ranger “em breve”. No entanto, de acordo com fontes ligadas à marca, este “em breve” não é no último trimestre de 2015, mas, com certeza, em 2016 – possivelmente no primeiro semestre. A Ranger comercializada no Brasil é fabricada na Argentina e deverá receber apenas a atualização visual, mantendo o conjunto mecânico atual: motores 2.5 flex, 2.2 e 3.2 diesel; tração 4x2 e 4x4; e transmissão manual de 5 ou seis marchas, e automática de 6.

NISSAN NAVARA

Para o mundo Navara. Para nós brasileiros, Frontier. A picape média da marca de origem japonesa estava em Frankfurt perto dos esportivo GT-R e do 370Z com preparação Nismo – divisão de alta performance de Nissan. Muito – mas coloca muito nisso – discreta que seis vizinhos, a nova Navara – ou melhor, Frontier – chega ao mercado brasileiro em 2016, substituindo a atual (e muito cansada) geração.

Em termos visuais, nem se compara com a atual Frontier. Com linhas mais atuais, porém pouco imponentes, a picape da Nissan deve trazer novidades mecânicas para o mercado brasileiro, apesar de a atual geração estar muito bem servida com seu motor 2.5 diese configurado para gerar 163 cv ou 190 cv; opções de tração 4x2 ou 4x4; e câmbio manual ou automático. Para os mercados asiático e europeu existem as opções de motor 2.3 turbo e 2.3 biturbo, ambos diesel, e transmissão automática de 7 velocidades ou manual de 6.

MITSUBISHI L200

A Mitsubishi apareceu em Frankfurt com a nova L200. Sua importância para a Europa é tão pequena, que a única unidade que encontramos não estava no estande da marca. Encontramos uma unidade somente em uma espécie de showroom da MIT do lado de fora de um dos 11 pavilhões que compõem o maior salão do mundo.

Revelada ao mundo em novembro do ano passado na Tailândia, um dos locais onde será produzida, a nova picape média manteve a silhueta da L200 Triton vendida no Brasil, mas com forte atualização no visual. A frente, por exemplo, ganhou grades e faróis maiores e mais marcantes, assim como a traseira passou a adotar lanternas mais chamativas e posição vertical.

Projetada para ser um produto global e ser comercializada em aproximadamente 150 países, a nova L200 desembarca no Brasil em 2016 – existe a possibilidade de vir importada e conviver um tempo com a Triton fabricada em Catalão, GO. Mecanicamente falando, a picape tem três versões de motores – 2.4 a gasolina, 2.4 e 2.5 a diesel – e outras três de câmbio – manuais de 5 e 6 marchas, ou automática de 5.

Jogador de futebol frustrado, resolveu ser jornalista para escrever sobre tudo que tivesse motor, fizesse (muito ou pouco) barulho e fosse possível de pilotar. Aficionado por superesportivos e clássicos, pensa agora acelerar também sobre duas rodas...

Matérias relacionadas