Porsche apresenta novo Cayenne Turbo em Frankfurt

SUV conta com novo V8 4.0 biturbo para ir de 0-100 km/h em 3,9 segundos

WM1 / 13/09/2017 às 12:30atualizado 18/09/2017 às 11:56

Anos atrás, a Porsche conseguiu escapar da falência lançando um carro que chocou o mundo e, principalmente, os apaixonados pela marca, o Cayenne. Hoje, no Salão de Frankfurt, o SUV que é sucesso de vendas chega à sua terceira geração, e a versão que mais deve atrair a atenção do público é a que vemos nas fotos, o Turbo.

Essa é a versão que, desde a primeira geração, tem provado ao mundo que um jipe de 2 toneladas pode andar como um Porsche deve. E o MK3 veio para reforçar a liderança no nicho de SUVs-canhão. Para tanto, ele conta com um novo V8 4.0 biturbo (visto primeiramente no novo Panamera) que rende 550 cv e 78,5 kgfm, 30 cv e 2 kgfm acima do V8 4.8 do Cayenne Turbo anterior. Assim, ele é capaz de atingir 100 km/h em 3,9 segundos (com o opcional Sport Chrono) e a velocidade final de 286 km/h, números de Porsche “tradicionais”, como o 911.

A Porsche buscou “acertar” o chassi para que o SUV se comporte como hot hatch grande. Por isso, ele conta com um aerofólio ativo de teto (tecnologia estreada no Panamera Sport Turismo), PDCC (controle dinâmico de chassi), PTV+ (vetorização de torque) e eixo traseiro esterçante como opcional. A transmissão automática (tradicional, em vez da de dupla embreagem PDK) de 8 velocidades também ajuda, com reações instantâneas durante o uso nervoso, e condução relaxante quando o motorista está sem pressa. Os para-lamas foram alargados em relação às versões mansas, para comportar pneus 285/40 na dianteira e 315/35 na traseira, que envolvem rodas de 21”.

Não podemos esquecer que se trata de um carro de luxo, e por isso, conta com equipamentos como som Bose com 710w de potência de série (será que precisa de um opcional superior?), e tem a opção de um sistema de 48v para manter a suspensão estabilizada, evitando a rolagem da carroceria, e ajustando a altura da suspensão em 6 níveis diferentes, já que, não podemos esquecer, é um carro que deve ser capaz de se meter no lamaçal e sair.

O modelo deve chegar ao Brasil no segundo semestre de 2018, nas versões base, S e Turbo. E logo em seguida, já veremos vários nas ruas.

Com combustível de alta octanagem correndo pelas veias, a equipe de jornalistas do WM1 está sempre acelerando em busca das informações mais relevantes para quem está à procura do melhor negócio ou é apenas mais um aficionado por carros!

Matérias relacionadas