Dodge Challenger Hellcat

Dodge Challenger Hellcat está em São Paulo

Muscle car de incríveis 717 cv de potência está no salão, mas - infelizmente - apenas como vistante

WM1 / 16/11/2016 às 17:00

O título de Muscle Car de série mais rápido de todos os tempos dá ao Dodge Challenger SRT Hellcat a senha para se juntar ao seleto grupo de superesportivos presentes no Salão Internacional do Automóvel de São Paulo de 2016. É a primeira vez que o modelo aparece de forma oficial em solo Brasil. Porém, a marca desconversa quando perguntada se venderá o modelo em terras tupiniquins.

Embaixo do capô deste cupê bestial ruge um V8 HEMI Hellcat de 6,2 litros supercharger que produz estonteantes 717 cv de potência máxima a 6.200 rpm. O torque máximo bate na casa dos 89,8 kgf.m a 4.800 rotações por minuto. É tanta brutalidade que deixa o Ford GT comendo poeira em cavalaria e o novo Audi R8 Plus, em torque.

Para entregar toda esta potência o Challenger SRT conta com duas chaves. Uma preta e outra vermelha. A primeira limita o esportivo a 500 cv, somente depois de ligar a segunda é que o cupê libera toda a sua usina de força. Haja burnout.

O superesportivo pode ser equipado com duas caixas de transmissão. A primeira, automática de oito velocidades, permite trocas sequenciais por aletas atrás do volante. Já quem prefere uma versão mais rústica e tradicional pode optar por um câmbio manual de seis marchas Tremec, a mesma que equipa o Dodge Viper.

É muito difícil que o Challenger SRT Hellcat seja vendido no Brasil, mas se depender da nossa torcida o modelo exposto no salão nem precisa voltar para os Estados Unidos. Na realidade, o Grupo FCA (Fiat Chrysler Automobiles) tem na cabeça trazer o Challenger - ou mesmo o Charger -, mas em uma versão menos nervosa, tipo a Scat Pack.

Guia do Salão 2016

Confira o Guia Completo do Salão 2016 WM1. Separamos tudo que você precisa saber sobre o maior evento automotivo da América Latina!

Editor, amante dos carros desde criança e colecionador de revistas automotivas. Seu passatempo preferido é viajar de carro ouvindo um bom rock. No mundo automotivo, tem uma queda pelas peruas e pelos esportivos. Quando não está fuçando sobre carros tenta a sorte nas quadras de tênis

Matérias relacionadas