Dacia Duster

Dacia apresenta 'All-New' Duster

Atualização, no entanto, não chegará ao Renault Duster no Brasil antes de 2019

WM1 / 12/09/2017 às 14:00

A Dacia, subsidiária romena da Renault na Europa, apresentou nesta terça-feira, durante o primeiro dia de imprensa do Salão Internacional do Automóvel de Frankfurt, Alemanha, o que a própria marca chama de 'All-New' (completamente novo) Duster. Na realidade, o SUV compacto passou apenas por uma reestilização que, para infelicidade dos brasileiros, não chegará ao nosso Renault Duster antes de 2019. De acordo com a Renault do Brasil, o momento é de trabalhar os modelos Captur e Kwid antes de dar uma revitalizada no Duster.

As dimensões do Dacia Duster continuam as mesmas, já que a plataforma é apenas uma adaptação da usada no Duster anterior. O que é bom, aliás, pois um dos pontos fortes do SUV é o maior espaço interno em comparação a alguns de seus principais concorrentes. As novidades mais importantes estão no design, que definitivamente deu uma rejuvenecida no modelo. A dianteira traz grade nova e um conjunto de faróis atualizado, agora com LEDs. A traseira, por sua vez, passa a adotar lanternas mais discretas (menores) e com uma configuração que remete às do Jeep Renegade. Por enquanto, nada de versão de sete lugares e entre-eixos alongado, que era especulada.

Algumas alterações interessantes foram promovidas também no interior do Dacia Duster, Saídas de ar, painel de instrumentos, console central, volante e controles do ar-condicionado, por exemplo, passaram por um leve refinamento. A central multimídia Media Nav2 é a mesma utilizada atualmente no utilitário esportivo, mas com alguns recursos extras, como câmera 360°.

Em termos de equipamentos, o Duster está mais moderno, oferecendo, por exemplo, alerta de ponto cego, luz alta automática adaptativa, sensor de chave, ar-condicionado automático e airbags de cortina.

Quanto a motores e transmissões, a Dacia ainda não revelou novidades, mas é certo que o Duster contará, como atualmente, com opções a turbodiesel (Europa) e a gasolina, com turbo, dependendo da versão, e tração dianteira ou integral (4x4).

No Brasil, o Duster hoje pode ser equipado com motor 1.6 SCe ou 2.0, ambos flex. A motorização de menor cilindrada recebeu recentemente a opção de câmbio CVT juntamente com o manual previamente disponível, enquanto o propulsor de dois litros continua com câmbio manual ou o ultrapassado automático convencional, com conversor de torque, e apenas quatro marchas. Aqui, os preços sugeridos partem de R$ 69.490.

Colaborou Marcelo Monegato, de Frankfurt