Harley mais cara do Brasil é puro luxo

Vendida a R$ 158.800, CVO Limited tem central multimídia e maior motor V2 da fábrica

WM1 / 03/06/2017 às 10:45

Modelo mais caro da Harley-Davidson no Brasil, a CVO Limited oferece o máximo em conforto para pegar a estrada. O modelo topo de linha e customizado pela fábrica é vendido a R$ 158.800 e oferece muitos atrativos, como acessórios e acabamento exclusivos, além do motor de maior capacidade cúbica da marca norte-americana: um V2 de 1.868 cm³ de capacidade. 

Esbanjando peças cromadas e estilo clássico, a CVO Limited conta com um sistema de Infotainment com tela colorida sensível ao toque de 6,5’’ e sistema de navegação integrado. Além do GPS, o equipamento oferece outras funções, entre elas, conferir a pressão dos pneus ou encontrar a concessionária da marca mais próxima. Tudo em português. Há ainda a opção de “parear” o celular via Bluetooth para atender chamadas e escutar música. O moderno sistema contrasta com os mostradores analógicos no topo do grande escudo frontal.

Para controlar as funções da central multimídia os punhos estão recheados de comandos e funções. É possível procurar uma estação no rádio ou trocar de faixa musical, aumentar o som; como também habilitar o piloto automático (cruise control) e o sistema de comunicação entre piloto e garupa. Tudo sem tirar as mãos das manoplas. 

Prova da exclusividade, até mesmo as manoplas são cromadas e emborrachadas para não cansar as mãos em uma longa viagem. E, para os dias de frio, aquecedor de manoplas e também de assentos. Mas, mesmo com tanto luxo, a Harley-Davidson esqueceu-se do para-brisa com regulagem elétrica de altura.

Há outras soluções que ampliam o prazer e o conforto na condução. O piloto conta com pedaleira plataforma e avançada, isso sem falar no encosto lombar, que ajuda a manter boa ergonomia durante horas na estrada. Já a garupa desfruta de um verdadeiro “sofá”, além de contar também com pedaleiras plataforma.

Para transportar a bagagem, a CVO Limited conta com dois saddlebag (bolsas laterais) e um top case (baú). No total é possível transportar 132 litros. Detalhe: no grande compartimento traseiro há espaço suficiente para acomodar dois capacetes fechados e outros objetos.

Agora é hora de “espetar” o pen-drive. Ouvir o bom e velho rock’n roll e rodar por estradas sinuosas do interior paulista, num roteiro de mais de 400 quilômetros.

Motor e ciclística

Apesar de seu porte intimidador – são 2,6 metros de comprimento-, é fácil subir na CVO Limited, pois o assento está a 760 mm do solo. O difícil é recolher o descanso lateral, que fica bem à frente, ou manobrar essa gigante. Mas, em seu habitat natural, a estrada, a moto é bastante “na mão”. 

O enorme V2 “enche” rápido, porém de forma progressiva. A força é bruta, já que o V2 chega ao torque máximo de 16,6 kgf.m a apenas 3.250 rpm – e proporciona cerca de 100 cv, número não confirmado pela companhia. Afinal, não se trata do Milwaukee-Eight 107, motor que estreou na linha Touring 2017, mas sim da versão 114 (polegadas), preparada pela Screamin´Eagle, divisão de acessórios da fábrica.

Neste novo projeto da Harley, o propulsor vibra pouco. Se você fechar os olhos não dirá que está pilotando uma H-D. Mas quando o piloto gira o acelerador com vontade, a moto já ultrapassou o limite de velocidade da rodovia. Sua velocidade máxima supera os 200 km/h. 

No meu ritmo, a no máximo 120 km/h, o consumo foi de 17 km/litros. Com seu tanque com capacidade para 22,7 litros de combustível, a autonomia está garantida para rodar quase 400 km. 

Além do conforto e do bom desempenho do motor, a ciclística merece destaque. O conjunto de suspensões absorve com propriedade as imperfeições do piso e não dá fim de curso como nos modelos anteriores. Novo, o conjunto traz tubos mais robustos na dianteira e, na traseira, amortecedores pressurizados e com ajuste manual da pré-carga da mola.

Os freios usam pinças Brembo e dão conta do recado para diminuir a velocidade em curvas mais acentuadas, enquanto o sistema ABS combinado garante a segurança em situações de emergência. Tudo pensado para manter a moto no “trilho” e contornar curvas com facilidade, apesar dos 431 Kg em ordem de marcha. Para completar, rodas de liga-leve, calçadas com pneus radiais nas medidas 130/80B17 (D) e 180/65B16 (T). 

A moto mais cara da linha Harley-Davidson no Brasil tem o charme das estradeiras americanas, mas com uma pitada extra de exclusividade. E um motor “preparado” que tem ponteiras exclusivas e um ronco que soa como música aos ouvidos dos fãs dos V2.

Ficha Técnica
Harley-Davidson CVO Limited
Motor Screamin’ Eagle Twim Cooled 114, com dois cilindros em “V” e refrigeração mista (ar e líquida) 
Capacidade 1.868 cm³
Câmbio Seis velocidades  
Potência máxima ND
Torque máximo 16,6 kgf.m já a 3.250 rpm
Suspensão dianteira Garfo telescópico tradicional com 117 mm de curso
Suspensão traseira Amortecimento bichoque com múltiplas regulagens
Freio dianteiro Disco duplo flutuante de 320 mm com pinça fixa de quatro pistões e ABS
Freio traseiro Disco simples de 320 mm com pinça fixa de quatro pistões e ABS
Pneu dianteiro 130/80-17
Pneu traseiro 180/65-16 
Comprimento total 2.600 mm
Entre-eixos 1.625 mm  
Altura do assento (descarregada) 760 mm  
Altura mínima do solo 125 mm  
Peso (em ordem de marcha) 431 kg
Peso (a seco) 414 kg
Tanque de combustível 22,7 l
Preço R$ 158.800