Teste: Audi SQ5 emociona sem perder racionalidade

SUV traz desempenho de tirar o fôlego com seus 354 cv e tecnologias avançadas de segurança. Preço? Quase R$ 400 mil

WM1 / 06/02/2018 às 21:45atualizado 07/02/2018 às 09:50

Todo o Audi que traz a letra  "S" antes do nome é uma versão de maior performance e com visual diferenciado. Com o SQ5, que recém chegou às concessionárias com preço sugerido de R$ 397.990, a história não poderia ser diferente:  nessa configuração, o SUV médio da marca alemã traz embaixo do capô o novo motor V6 3.0 turbo, que entrega 354 cv de potência e 51 kgf.m de torque.

Com transmissão automática de oito marchas e tração integral, o lançamento consegue acelerar de zero a 100 km/h em 5,4 segundos, com máxima limitada a 250 km/h. Nada mau para um carro que pesa 1.945 km em ordem de marcha - cerca de 20 km a menos que o SQ5 de geração anterior, graças ao uso de alumínio e de aços especiais de alta e ultra alta resistência, estes últimos formados a quente.

Olhando esses números, é de se esperar que o SQ5 entregue a dose de emoção e adrenalina que, para alguns, poderia faltar nas versões padrão do utilitário. Lançada em agosto do ano passado, a nova geração do Q5, na qual o novo SQ5 se baseia, traz motor 2.0 turbinado de 252 cv e 37,7 kgf.m - uma baita diferença em desempenho entre os dois.

Para saber se o SQ5 é mesmo de emocionar, o WM1 acelerou o lançamento em um rápido test-drive, que incluiu vias congestionadas na capital paulista e um trecho de rodovia no interior do estado, em um trajeto de aproximadamente de 50 km. No breve contato com o carro, podemos dizer que, sim, o SUV tem condições de tirar o fôlego, mas sem abrir mão da racionalidade, trazendo cabine caprichada e muita tecnologia a bordo, especialmente no que se refere aos assistentes de condução, que fazem do Audi um carro semiautônomo (vamos falar em detalhes sobre a parafernália eletrônica do SQ5 mais abaixo).

ESPORTIVO DISCRETO

Para começar, vamos falar do visual. O SQ5 traz mais esportividade sem ser tão chamativo, o que deve agradar aos clientes da Audi. As diferenças em relação às demais versões começam na dianteira, que traz faróis full-LED com luz alta automática de série, além da grade com acabamento metálico com "efeito 3D" típica dos Audi "S" - também presente nos nichos dos faróis de neblina. No Q5, esses itens trazem aparência preta brilhante.

Na base do para-choque traseiro, o lançamento conta com um aplique metálico que simula duas ponteiras duplas de escapamento, uma em cada extremidade, uma solução estranha de design para um carro de mais de 350 cv. Dando uma espiada embaixo do para-choque, você vê que o carro tem  escapamento de ponteira simples, que nem é cromada. A Audi bem que poderia ter optado por vender o carro com as ponteiras aparentes e reais.

Ainda a respeito do desenho externo, o SQ5 tem belas rodas de liga leve de 20 polegadas e traz seu nome em emblemas na grade dianteira e na tampa do porta-malas, enquanto os para-lamas dianteiros têm a inscrição V6 T, uma alusão ao motor do modelo.

MUITA ACELERAÇÃO

Por falar em motor, o do SQ5 é mesmo rápido: com o modo de condução ajustado para "Dynamic", que retarda as trocas de marcha, enrijece os amortecedores, aumenta o ronco do escapamento e ajusta motor e assistência elétrica da direção para uma pegada mais esportiva: é pisar com vontade no pedal do acelerador que o carro responde prontamente, a ponto de, perdoem o lugar-comum, fazer as costas "colarem" no banco. A caixa de marchas automática com conversor de torque oferece trocas bem rápidas, lembrando uma transmissão automatizada de dupla embreagem. Um porém: mesmo no modo dinâmico, o ronco do V6 não chega a ser muito empolgante.

Dentre as sacadas desse novo motor que valem a pena mencionar está o turbo, instalado entre as duas bancadas do motor em "V": a carcaça da turbina, que atinge pressão máxima de 2,3 bar, está conectada diretamente aos dois coletores de escape do V6. Com isso, os gases de escape que a fazem girar percorrem um caminho mais curto e o turbo tem respostas mais rápidas, reduzindo o famoso "turbo lag". Outro destaque é para economizar combustível: o câmbio entra em modo roda livre, desativando a tração automaticamente, sempre que o motorista tira o pé do acelerador de forma suave a velocidades entre 55 km/h e 160 km/h. Isso acontece quando o carro estão no modo de condução Auto (automático), Efficiency (foco no baixo consumo)  ou Comfort (confortável)  e você nem nota quando está ao volante.

A suspensão independente com cinco braços na dianteira e na traseira traz componentes emprestados do irmão maior Q7 e essa configuração, combinada com os amortecedores adaptativos, faz do SQ5 um carro bastante estável, sem oscilações da carroceria em mudanças de direção, transmitindo confiança ao condutor. Apesar do porte - são 4,67 m de comprimento, 1,89 m de largura, 1,63 m de altura e 2,82 m de entre-eixos -, o SUV tem comportamento do utilitário da Audi é bem esportivo quando ele é requisitado. Com o pé leve no pedal direito, a novidade pode ser utilizada como um pacato SUV familiar de luxo.

VALE O QUANTO PESA?

Por falar em luxo, o preço elevado  do SQ5 (o Q5 começa em R$ 249.990 ou quase R$ 150 mil a menos) significa que o lançamento traz quase tudo o que está disponível em equipamentos. A minimalista cabine com acabamento caprichado, cheia de detalhes metálicos e peças emborrachadas e/ou agradáveis ao toque traz de série o painel digital Virtual Cockpit, com tela configurável de 12,3 polegadas capaz de exibir desde rotas no navegador GPS integrado até informações do computador de bordo. Além dele, o carro conta com um head up display, que projeta informações como velocidade diretamente no para-brisa, que reflete imagens de uma tela instalada no topo do painel, e monitoramento do entorno do veículo por câmeras, para dar uma visão "360 graus".

A central multimídia traz fácil operação, com navegação de menus por meio de um botão giratório e clicável no console central ou através de um touchpad que permite escrever desenhando letra a letra para, por exemplo, localizar um contato na agenda do celular, concectado via Bluetooth.  O sistema de som da Bang & Olufsen é matador, trazendo 755 W de potência, 18 alto-falantes e tweeters embutidos nas colunas dianteiras.

O interior traz bancos revestidos de couro e Alcantara, uma espécie de camurça sintética usada em carros de luxo, assentos dianteiros com ajustes elétricos e amenidades como ar-condicionado digital com três ajustes independentes de temperatura, teto solar panorâmico e até porta-copos climatizado, que pode manter a bebida aquecida ou resfriada, ao toque de um botão. Além disso, a cabine pode ser customizada com luzes de LEDs de cores diferentes.

SEM AS MÃOS!

Mas o que chama mesmo a atenção no SQ5 são as tecnologias de assistência à condução que fazem do SQ5 um carro semiautônomo. O mais interessante, introduzido no Brasil com a nova geração do A4, é o controle de velocidade de cruzeiro com assistente de congestionamento.

O assistente de congestionamento funciona assim: em velocidades entre 0 km e 65 km/h, o carro é capaz de acelerar, frear e esterçar o volante sozinho, desde que as faixas na pista estejam bem demarcadas (sensores leem as faixas). Testamos e comprovamos que funciona: tiramos as mãos do volante e os pés dos pedais e o SUV começou literalmente a rodar por conta própria, sendo capaz de frear completamente quando o carro logo à frente para, graças a um radar na dianteira. Mas, por enquanto, a função autônoma é acionada apenas durante alguns segundos. Depois disso, um alerta é emitido para o condutor reassumir o volante.

Em rodovias, o SQ5 também acelera e freia de acordo com a velocidade ajustada e conforme o fluxo de veículos. Se o carro à frente estiver em uma velocidade menor que a escolhida, o SUV manterá automaticamente uma distância segura até o caminho ficar livre e o SQ5 voltar a acelerar. Além disso, graças à leitura das faixas de rodagem, o Audi é capaz de iniciar uma curva sozinho - na maioria das vezes, é necessário completar a manobra manualmente.

O lançamento também traz estacionamento semiautomático, frenagem automática de emergência e o assistente lateral, que alerta sobre veículos ou outros obstáculos em pontos cegos e alerta de saída da vaga, transversal ou paralela, que avisa por meio de sinais sonoros e visuais se um outro veículo está se aproximando. Ao dar ré, por exemplo, se o carro detectar risco de colisão e o motorista não reagir aos alertas, o SUV pode frear automaticamente.

De todos os itens citados, apenas a câmera de 360 graus e o assistente lateral são opcionais, disponíveis em um pacote que custa R$ 12 mil. Porém, convenhamos: quem tem fôlego para comprar um carro de quase R$ 400 mil muito provavelmente não vai se importar em gastar mais alguns milhares de reais para levar o SQ5 "completaço".

Tags

Com combustível de alta octanagem correndo pelas veias, a equipe de jornalistas do WM1 está sempre acelerando em busca das informações mais relevantes para quem está à procura do melhor negócio ou é apenas mais um aficionado por carros!

Matérias relacionadas