Renault sandero RS Racing Spirit

Renault eleva dose de pimenta no Sandero RS

Série especial Racing Spirit limitada a 1.500 unidades chega por R$ 66.400

WM1 / 12/05/2017 às 15:00

Autódromo Internacional de Curitiba, o lugar não poderia ser mais apropriado para a Renault apresentar a série especial do Sandero R.S. Um dos poucos hot hatch à venda no país acaba de ganha a versão Racing Spirit. Serão produzidas apenas 1.500 unidades, todas elas numeradas, ao preço fechado de R$ 66.400, três mil a mais que o RS “básico”.

Preparada pela Renault Sport, a divisão de competição da marca francesa, o modelo ganhou um belo aprimoramento no visual. O hatch será oferecido com três opções de corres de carroceria, preto, prata e branco. O toque de esportividade extra fica pelos detalhes nos para-choques, retrovisores externos, difusor traseiro, apliques na lateral e até na pinça do freio que são pintados em vermelho vivo. Pode até parecer extravagante demais, mas ao vivo o conjunto transmite bom gosto e reforça a esportividade do modelo.

Esta dualidade entre a cor da carroceria e o vermelho continua de forma mais acentuada no interior da cabine. O vermelho aparece seja no arco do velocímetro, nos aros difusores do ar-condicionado, nas bordas do revestimento do volante ou nas linhas do banco esportivo, já o preto domina boa parte do interior, independentemente do tom da carroceria, inclusive no teto. Um cinza discreto aparece na parte superior dos bancos dianteiros com as iniciais RS.

Para marcar a série especial a placa numerada, que identifica o Racing Spirit, fica localizada próximo do câmbio, no console central. Além da numeração, há um mapa do autódromo de Brno, na República Checa, um importante palco da Word Series, local que a divisão Racing Sport, da Renault, teve grande destaque.

As belas rodas pretas aro 17 receberam pneus 205/45 R17 Michelin Pilot Sport 4 que, segundo a Renault, aumentaram a performance nas frenagens do hatch em até dois metros em pistas molhadas e um metro no seco. Estas rodas são vendidas como opcionais (R$ 1.000), na versão normal do R.S.

MOTOR

A série especial manteve o bom motor 2.0 aspirado, que entrega 150 cv e 20,9 kgfm com etanol (145 cv com gasolina), associado a um câmbio manual de seis velocidades com relações curtas e precisas. Segundo a Renault, o conjunto é capaz de levar o RS à velocidade máxima de 202 km/h e uma aceleração de 0 a 100 km/h em apenas oito segundos.

Ao contrário das versões mais espartanas do Sandero, o R.S. vem equipado com freios a disco nas quatro rodas, além da direção eletro-hidráulica, que é mais direta que a do modelo comum. A divisão Renault Sport Cars também foi responsável pelo ajuste de suspensão, que é mais rígida e transmite praticamente todas as variações do solo.

NA PISTA

O autódromo de Curitiba, juntamente com o de Goiânia, é um dos mais desafiadores do pais para os amantes de track day por trazer curvas de alta velocidade. É neste cenário que o R.S. se torna mais animado.

O R.S. Racing Spirit chega no final da reta principal (de exatos 1.000 metros) em sexta marcha e acima dos 160 km/h. Momento de espetar marcha para baixo, câmbio justo, trocas rápidas, quinta, quarta e curva para a direita, na verdade uma série de três curvas em formato de chicane, sendo a última mais longa para a direita. O R.S. quase não sofre rolagem de carroceria, se mantém focado e apontado para a próxima curva, tão ajustado que o pneu não chega a cantar.

O 2.0 aspirado enche rápido e contínuo, sem leg ou pulo típico dos turbos, o seletor no painel pede marcha para cima e o R.S. vai forte. Na pequena reta que dá até a próxima curva para a direta dá tempo de lembrar dos modos de condução deste Sandero.

São três. Com o sistema R.S. Drive (acionado através de um botão no console central) é possível escolher ainda entre: Standard, Sport e Sport+. O primeiro feito para economia de combustível é para ser usado no dia a dia. O segundo deixa o pedal do acelerador com respostas mais rápidas, torna o ronco do motor mais grosso e a marcha lenta aumentada para 950 rpm, feito para deixar a arrancada mais ágil. Mas é a terceira a que faz o coração disparar e o sorriso aparecer. A Sport+ desliga os controles de estabilidade (ESP) e de tração (ASR).

Chega o S de alta, faço em terceira marcha, giro alto, acelerando primeiro para a esquerda, velocímetro flerta com os 120 km/h. O Sandero não toma conhecimento faz como se fosse uma reta e chega forte para a tomada da curva para a direita. A volta termina com uma longa curva para a direita que leva até a reta principal, tomada bem técnica, com o muro próximo e o Sandero ameaça começar a sair de frente. Nada acontece e o R.S. ganha velocidade para cruzar a chegada.

Sem dúvida o maior benefício do Sandero R.S. Racing Spirit é ser um carro bom para o dia a dia e ótimo para track day.

EQUIPAMENTOS

De fábrica, o RS traz, entre outros itens, controles de estabilidade (ESP) e de tração (ASR), assistente de arrancada em subidas (HSA), faróis de rodagem diurna (DRL) de LED, ar-condicionado automático, vidros elétricos dianteiros e traseiros, banco do motorista regulável em altura, piloto automático (controlador e limitador de velocidade), sensores de estacionamento e sistema Media NAV Evolution, a central multimídia integrada ao painel com tela de 7 polegadas touchscreen.

O modelo será apresentado oficialmente ao público no Salão de Buenos Aires, que acontecerá entre os dias 10 e 20 de junho, na Argentina. As vendas deverão começar depois da mostra.

Editor, amante dos carros desde criança e colecionador de revistas automotivas. Seu passatempo preferido é viajar de carro ouvindo um bom rock. No mundo automotivo, tem uma queda pelas peruas e pelos esportivos. Quando não está fuçando sobre carros tenta a sorte nas quadras de tênis

Matérias relacionadas