Polo vem para ser Top 5, diz presidente da Volks

Por outro lado, David Powels não promete preço agressivo: "Nunca um Volkswagen vai ser o carro mais barato"

WM1 / 24/08/2017 às 22:30

O Polo chega às lojas em novembro com a missão de ser, pelo menos, um dos cinco carros mais vendidos do Brasil. Este objetivo foi revelado pelo presidente da Volkswagen do Brasil, David Powels, Durante um workshop realizado nesta quinta-feira (24) sobre o design e tecnologia do modelo. Mas isso não quer dizer que o hatch terá uma postura agressiva em relação a preço. “Nunca um Volkswagen vai ser o carro mais barato e isso vale para qualquer categoria”, considerou.

O executivo justificou que a principal preocupação da marca está em oferecer “um carro mais premium” e com melhor custo de propriedade, ou seja, com valores atrativos em relação a seguro, revenda e peças de reposição.

A visão de que o Polo terá ótimos números de vendas, mesmo não sendo mais barato do que seus concorrentes é sintetizada pela previsão de mix de vendas. Segundo o vice-presidente de vendas e marketing da montadora, Gustavo Schmidt, a versão mais vendida do compacto será a Comfortline equipada com motor 1.0 turbo e câmbio automático de seis velocidades. Intermedíaria, a configuração deve custar em torno de R$ 68.000, conforme o executivo antecipara ao WM1.

Tal versão seria, portanto, cerca de R$ 10.000 mais cara em relação às versões topo de linha de Chevrolet Onix (R$ 56.650) e Hyundai HB20 (R$ 57.380), os dois carros mais vendidos do Brasil e que são adversários diretos do compacto da Volks.

Busca pelas cinco estrelas

Um dos diferenciais do Polo será a oferta de quarto airbags (frontais e de cortina) e controle de tração de série para toda a gama, enquanto o controle de estabilidade vem de fábrica nas versões TSI (turbo). Também serão ofertados bloqueio eletrônico do diferencial, assistente de partida em rampa, indicador de perda de pressão dos pneus, freio a disco nas quatro rodas, sistema de frenagem pós-colisão (que evita com que o condutor bata novamente após uma colisão), além de limpeza automática dos discos de freio (para garantir a eficiência de frenagem durante a chuva) e pneus de baixa resistência ao rolamento em todas as versões.

Embora ainda não tenha participado de testes de impacto, a Volkswagen projeta cinco estrelas na segurança de adultos por já ter realizado avaliações internas – as unidades testadas foram exibidas durante o evento.

Mistério

Apesar de o workshop também falar sobre tecnologia, o modelo não foi exibido por inteiro, mas apenas com camuflagens e por meio de uma unidade em clay (argila) feita em tamanho real. O mistério ainda se faz porque o Polo brasileiro terá uma parte frontal um pouco diferente em relação ao europeu. De acordo com José Carlos Pavone, chefe de Design da Volkswagen para a América do Sul, a grade do hatch feito em São Bernardo do Campo (SP) terá uma grade inferior maior para dar sensação de mais agressividade.

O desenho completo do hatch será revelado no fim de setembro em evento de lançamento. Até o momento, a Volkswagen revelou que o modelo terá três versões de acabamento: Polo (sem sobrenome), Comfortline e Highline.

Também foram confirmados os motores 1.0 turbo de 128 cv e 20,4 kgf.m de torque, além de uma opção 1.0 aspirada, ainda sem números divulgados. Há rumores de que o motor 1.6 também será ofertado.

Aliás, o torque foi um dos assuntos mais polêmicos do evento. Isso porque a fabricante decidiu que vai colocar a quantidade de torque do motor no nome da versão. Portanto, o Polo 1.0 será chamado de Polo 200 TSI. Isso porque será considerada a entrega de torque em Nm (Newton metro) e não em kgf.m (quilograma força metro), como usamos no Brasil.

Desta forma, a fabricante quer que o consumidor entenda que um motor menor pode ter mais desempenho do que um maior, caso tenha uma entrega maior de força motriz.

A Volks revelou ainda que o hatch vai ter um painel de instrumentos totalmente digital e conectado à central multimídia. Ele terá uma dinâmica bem semelhante ao cluster da Audi, chamado de virtual cockpit. Isso significa que o motorista poderá ver, inclusive a rota do GPS na tela do painel.

No entanto, a tecnologia estará disponível somente para as versões mais caras do Polo. Segundo a Volks, as configurações de entrada e intermediárias vão oferecer outro modelo de central multimídia. Todas elas terão compatibilidade com os sistemas Android Auto, Apple CarPlay e Mirror Link.

Você já deve ter ouvido por aí, mas vale repetir: o Polo é o primeiro produto de uma nova plataforma modular chamada de MQB-A0. Esta matriz permite com que diversos modelos de diferentes carrocerias compartilhem a mesma base. Mas o que você pode não saber, embora o WM1 já tenha divulgado, é que esta base dará origem a um SUV (baseado no conceito T-Cross), a um sedã (o Virtus, que será lançado no início de 2018) e a uma picape, que deve chegar ao mercado somente daqui a dois anos.

Quando deixa um pouco de lado a carreira brilhante como piloto de Gran Turismo e Fórmula 1 (no Playstation), faz cobertura diária do setor automobilístico. Muscles cars e clássicos dos anos 1990 são as máquinas prediletas.

Matérias relacionadas