Audi Q8 Concept

Audi terá enxurrada de lançamentos para o Brasil

Marca vai lançar em 2018 os novos Q8, A8, RS4 e RS5 e estuda trazer seu primeiro carro elétrico em 2019

WM1 / 09/02/2018 às 11:00

A Audi terá em 2018 vários lançamentos no Brasil, incluindo modelos de alta performance da linha RS, nova geração de carros importantes e o inédito SUV topo de linha Q8. As informações são de Johannes Roscheck, o presidente da filial brasileira da montadora, que conversou com a reportagem do WM1.

O executivo contou também alguns planos para o futuro, como a chegada em 2019 do primeiro modelo elétrico da marca no país e testes com uma unidade do A5 adaptada de fábrica para rodar com GNV (gás natural veicular). Nós contamos tudo para você aqui.

SQ5

A conversa com o executivo da Audi aconteceu esta semana, justamente no lançamento do SQ5, versão de alta performance do Q5 que já está nas concessionárias com preço sugerido de R$ 397.990. A novidade, que o WM1 avaliou em um rápido contato, troca o motor 2.0 turbo de 252 cv das demais versões pela unidade 2.0 V6 turbinada de 354 cv de potência e 51 kgf.m de torque.

Com tração integral Quattro e câmbio automático de oito marchas, o SUV médio é capaz de sair da imobilidade e atingir os 100 km/h em 5,4 segundos, apesar dos 1.945 kg em ordem de marcha. Além da performance, o SQ5 traz avançados sistemas de assistência que fazem dele um veículo semiautônomo de nível 2, podendo, inclusive, rodar sozinho em congestionamentos a velocidades de até 65 km/h - porém, depois de alguns segundos, o motorista precisa colocar as mãos de volta no volante.

Ainda a respeito do Q5, a Audi começa a ampliar a oferta do utilitário blindado de fábrica, importado do México (como as demais configurações) e na versão Ambition, com preço a partir de R$ 361.990 - sem blindagem, a mesma versão custa R$ 297.990.

TTRS e RS3

A dupla TT RS e RS3 será apresentada a jornalistas especializados depois do Carnaval, mas já está à venda na rede Audi pelos preços de, respectivamente, R$ 424.990 e R$ 329.990. Os dois carros compartilham plataforma e base mecânica, incluindo o famoso motor 2.5 de cinco cilindros turbo, que na nova geração dos compactos esportivos rende nada menos que 400 cv e 48,9 kgf.m, gerenciado pela transmissão automatizada de dupla embreagem e sete velocidades e tração Quattro.

A versão mais potente do cupê TT acelera de zero a 100 km/h em 3,7 segundos, enquanto o RS3 (acima), disponível pela primeira vez com carroceria hatch (Sportback) e sedã, faz o mesmo em 4,1 segundos. São de tirar o fôlego.

RS4 e RS5

A nova geração do RS4 (acima) chega, segundo o presidente, em meados deste ano com bala na agulha para honrar sua tradição de alto desempenho em uma perua familiar. Nessa nova encarnação, ela troca o motor V8 naturalmente aspirado pela novíssima unidade 2.9 V6 biturbo, que entrega 456 cv de potência e 61,24 kgf.m de torque. Com tanta cavalaria disponível,  mais tração Quattro e câmbio automático de oito velocidades, a station vai de zero a 100 km/h em 4,1 segundos, mas também pode ser usada como um pacato veículo para levar as crianças para a escola.

Mais para o fim do ano será a vez de o RS5 (acima) desembarcar no Brasil, trazendo embaixo do capô o mesmo motor 2.9 V6 biturbo, porém com elegante carroceria cupê de duas portas, que reforça o seu temperamento esportivo. Mais leve que o RS4, o RS5 consegue cumprir o zero a 100 km/h em ainda menos tempo: 3,9 segundos. Os preços ainda não foram definidos, mas dá para apostar que a dupla vai custar mais de R$ 500 mil no país.

Q3

A Audi não vai introduzir este ano novidades significativas para o Q3, o menor e mais vendido SUV da marca no país. O que dá para adiantar, com base nas informações da Audi, é a chegada neste ano de uma edição especial, cujos detalhes ainda não sabemos, mas que não vai trazer novidades quanto a motores e câmbio, nem se trata de reestilização - hoje, o SUV compacto é vendido (e produzido) aqui com motor 1.4 turbo flex de 150 cv e 2.0 a gasolina de 180 cv.

A6 e A7

A nova geração do sedã de luxo A6 deve ser revelada agora em março, durante o Salão de Genebra (Suíça). Embora nem tenha aparecido, ela está nos planos para exibição no Salão do Automóvel de São Paulo, em novembro deste ano, de acordo com o presidente Roscheck. Ela deverá fazer dupla com o novo A7 Sportback, apresentado em outubro de 2017 como rival do Porsche Panamera.

O novo A7 (acima) traz grade mais larga e faróis mais agressivos, com aparência achatada, desenho que tem sido visto nos lançamentos recentes da Audi. A traseira, como no novo A8 (que também chega neste ano), traz uma fileira de LEDs percorrendo a tampa do porta-malas e unindo as lanternas. Na versão de lançamento na Europa, o A7 empresta várias tecnologias do A8, como nova central multimídia organizada em duas telas sensíveis ao toque - a primeira, de 10,1 polegadas, traz navegação GPS e comandos do sistema de som, dentre outras funcionalidades, enquanto a segunda, posicionada logo abaixo e de 8.6 polegadas, conta com os ajustes do ar-condicionado e da climatização dos bancos.

As vendas de A6 e A7 vão começar depois do Salão, provavelmente no primeiro trimestre de 2019.

A8

O presidente da Audi do Brasil também confirmou para o fim do ano o lançamento no país da nova geração do A8, o sedã mais sofisticado da companhia e que é anunciado como o primeiro carro de produção com tecnologia de condução autônoma de nível 3, o que permite rodar por conta própria em algumas situações sem que o condutor tenha de reassumir o volante após alguns segundos, como acontece hoje com o A4, o A5 e o SQ5, que têm autonomia de nível 2.

Porém, por conta de (falta de) regulamentação de de limitações de infraestrutura, o sedã topo de linha não vai contar inicialmente com o nível 3 por aqui - que permitiria, por exemplo, rodar por conta própria em rodovias separadas fisicamente por uma barreira a velocidades de até 60 km/h, em condições de trânsito lento, sem que o condutor precise ficar monitorando o veículo. "As pessoas sempre perguntam quando vai ter carro autônomo no Brasil. A gente precisa ir por partes, não pode entrar diretamente com nível 3 porque ainda estamos desenvolvendo a tecnologia, que vai ser introduzida na Alemanha ainda em 2018 e aqui ainda vai levar mais tempo", esclareceu Roscheck, destacando a necessidade de que as vias estejam com as faixas de rodagem bem demarcadas para que o sistema funcione corretamente.

Q8

Apresentado no Salão de Detroit de 2016 como conceito, depois atualizado com o Q8 Concept Sport (acima), o Q8 terá sua versão de produção apresentada em breve, possivelmente já em março, no Salão de Genebra, porém sua vinda ao Brasil em 2018 está confirmada pelo presidente Roscheck.

Maior que o Q7, que mede pouco mais de 5 metros de comprimento, o Q8 será uma versão SUV do A8, trazendo as mesmas tecnologias avançadas de condução semiautônoma, opção de propulsão híbrida e muito luxo a bordo.

Elétrico em 2019?

 

A Audi também informa que poderá exibir no Salão do Automóvel deste ano seu primeiro automóvel 100% elétrico, que a empresa ainda não apresentou na sua versão final e que poderá estar nas concessionárias brasileiras em 2019. Recebemos a informação de que o Audi movido a baterias será bastante inspirado no conceito E-Tron Quattro (foto), com carroceria SUV e porte semelhante ao do Q7. A diferença, no caso, é que o H-Tron Quattro traz tecnologia de célula de hidrogênio, convertendo o gás em eletricidade para mover as rodas, enquanto o Audi de produção será elétrico convencional, com baterias que precisam ser recarregadas em uma tomada. O carro deverá oferecer autonomia de pelo menos 500 km com uma carga completa.

Q2

O presidente da Audi do Brasil informou também que no momento está descartada no país a venda do SUV Q2 , mas poderá ser revista quando chegar a segunda geração do Q3,  maior que a atual. "Hoje o mercado não tem espaço para modelos parecidos em tamanho, desempenho e preço, como o Q2 e o Q3. O novo Q3 deve ficar maior, abrindo espaço para um possível lançamento do Q2. A BMW, por exemplo, só lançou o X2 depois da chegada da nova geração do X3, que cresceu e ficou mais cara", disse o executivo.

A5 GNV

O chefe da Audi brasileira também informou que em 2018 a marca vai trazer para testes no país uma unidade do A5 G-Tron, que vem de fábrica com motor 2.0 turbo a gasolina de 170 cv e  sistema flexível para ser abastecido também com GNV (gás natural veicular).

Dependendo da receptividade e da avaliação que empresa fizer da nossa infraestrutura de reabastecimento, a marca vai estudar a possível vinda de modelos da família G-Tron para cá.

Com combustível de alta octanagem correndo pelas veias, a equipe de jornalistas do WM1 está sempre acelerando em busca das informações mais relevantes para quem está à procura do melhor negócio ou é apenas mais um aficionado por carros!

Matérias relacionadas