Cidade proíbe circulação de carros pretos

Asjabad, a capital da ex-república soviética Turcomenistão, determinou repintura de veículos com a cor, que traria azar

WM1 / 11/01/2018 às 16:00

O governo do Turcomenistão, pequeno país da Ásia Central que já fez parte da União Soviética, proibiu a partir do começo de 2018 o licenciamento e a circulação de carros pretos na capital Asjabad. De acordo com o site "Chronicles of Turkmenistan", donos de automóveis com essa cor de carroceria tiveram os veículos rebocados por autoridades de trânsito locais e enviados para um depósito. Os carros só poderão voltar a circular após receberem nova pintura, em qualquer tonalidade, desde que não seja preta.

Desde 2015, o país já proibia a importação de automóveis pretos. Ainda de acordo com a publicação, o veto partiu de Gurbanguly Berdymukhammedov, presidente do Turcomenistão desde 2006. Supersticioso, o mandatário supostamente acredita que a cor preta traz azar e prefere a tonalidade branca, sinal de boa sorte.

Independentemente de superstições, já há relatos de moradores de Asjabad dando conta que, por causa da nova regra, os preços da repintura subiram nas alturas nas oficinas locais.

Um cidadão que tem carro preto relatou que os valores mais que dobraram - o serviço, que custava cerca de US$ 500 (aproximadamente R$ 1,6 mil), agora está saindo por US$ 1.000 (R$ 3,2 mil) ou até mais. Trata-se de um custo pesado em um país pobre, cuja população em sua maioria vive de atividades rurais.

Com combustível de alta octanagem correndo pelas veias, a equipe de jornalistas do WM1 está sempre acelerando em busca das informações mais relevantes para quem está à procura do melhor negócio ou é apenas mais um aficionado por carros!

Matérias relacionadas