Newsletter
Share

Redes Sociais

Volkswagen Fusca 1963 100% elétrico

#ClássicosWM1: Fusca 63 ganha propulsão elétrica

Webmotors testa Volkswagen Fusca que não polui, não faz barulho e tem 84 cv de potência

WM1 / 06/03/2017 às 10:15
Arquivo

A silhueta de três arcos é inconfundível , assim como os simpáticos faróis redondos e as pequenas lanternas. A calota cromada está lá e o charme final fica por conta do teto-solar de couro. O dono dá a partida e lá se vai o Volkswagen Fusca 1963 sem deixar rastro. Surreal. Não há aquela barulheira do motor a ar ou qualquer sinal de fumaça. Poderia ser uma criação de Steven Spielberg, mas é de um publicitário da Califórnia, nos Estados Unidos, que criou o primeiro Fusca antigo totalmente elétrico que se tem notícia.

A Webmotors visitou a cidade de San Diego para conhecer com exclusividade o projeto maeluco de David Benardo, que aos 16 anos já havia trocado o motor de uma antiga picape Chevrolet do seu pai. “Eu estava cansado do meu trabalho como publicitário e gostaria de fazer algo que eu realmente me sentisse realizado. A primeira ideia era construir Kombi elétrica, mas é um carro raro e de preço elevado aqui nos EUA. Muitos me chamavam de louco”, relembra.

A ideia tomou forma quando David abandou o antigo emprego no estado da Carolina do Sul e voltou a morar na Califórnia, mais precisamente em San Diego e resolveu transferir o projeto da Kombi para um modelo mais popular, o Fusca. “Tem muitos deles por aí e muitas peças de reposição também”, conta. O projeto tomou forma e assim nasceu a ZelectricBug, ou a fábrica de Fusca elétricos de David. Para fazer o projeto tomar forma, ele contou com a ajuda de uma oficina de conversão de carros elétricos da cidade de San Marcos, chamada EV West.

COMO FUNCIONA

Embora curioso, o projeto é relativamente simples. David adotou baterias de íon de lítio para mover o popular Volkswagen. As peças são parecidas com aquelas usadas pelo luxuoso sedã elétrico Tesla. São 37 baterias no total, sendo 12 posicionas na frente e outras 25 atrás do banco traseiro. A impressão ao abrir a tampa do motor do Fusca é muito curiosa. Apenas uma caixa cromada esconde as bateria e ali também está o plug-in para carregar o Volks.

Segundo David, o Fusca rende agora 80 cv, ou o dobro da potência original do motor 1200 a gasolina de 40 cv. A velocidade máxima é de 80 milhas por hora, algo como 130 km/h. “Ele tem torque, algo que o Fusca original nunca teve. Isso torna a condução divertidíssima”, conta David. Segundo o especialista, a nova propulsão acresceu 158 kg ao popular. Assim como os elétricos Volt e Leaf, o freio também é regenerativo e acumula energia para o motor.

Basta entrar no Fusca para ver que por dentro, pouca coisa denota que estamos em um modelo elétrico. Volante, painel, bancos, quase tudo é original, com exceção do novo instrumento que mostra a carga da bateria. A partida é feita por meio da chave normal e não há qualquer sinal ou barulho de que ela aconteceu. E como fazer para o Fusca andar? Basta acionar o câmbio original – isso mesmo, original – do Fusca, que permanece ali com algumas modificações. “As pessoas costumam perguntar se o carro morreu”, conta David em meio a risadas.

Por mais estranho que pareça é a transmissão original, adaptada, que faz o Fusca se mover. Basta acionar a posição da terceira marcha, sem o uso da embreagem e o Fusca pode rodar entre 0 e 128 km/h. E conduzi-lo é pra lá de divertido. Rodamos por pouco mais de 20 minutos pelas ruas de San Diego e pudemos comprovar isso. O Fusca acelera muito rápido e chega a ser assustador o fato de não ter barulho e fumaça num modelo tão antigo.

O desempenho chega a lembrar um compacto 1.6 atual, sobretudo pelo torque. E mesmo com tanta modernidade, algo ainda permanece ali, o típico cheiro de Fusca e dos demais Volkswagen antigos.  O primeiro projeto nasceu há quase um ano sob a carroceria do Fusca 1963 vermelho de David. Este é inclusive o carro de uso diário de David e também o “cartão de visitas” de sua empresa.

Este não está à venda, mas David pode entregar um semelhante por US$ 45 mil, ou cerca de R$ 100 mil na conversão direta. Com uma carga completa, feita durante pouco mais de 8 horas numa tomada convencional, o Fusca é capaz de rodar entre 80 e 100 km. Bem, se você pensava que todo carro elétrico era sem graça, chegou a hora de mudar os seus conceitos.

CONFIRA TAMBÉM

Eles invadiram a última linha de montagem do Fusca
Fusca: paixão que atravessa gerações
Nostalgia: Vídeo de Fusca feitos pela Webmotors