Honda NSX renasce com todas as virtudes

Esportivo usa sistema híbrido de propulsão com motor V6 e câmbio de 9 marchas

WM1 / 22/12/2015 às 16:20atualizado 13/07/2016 às 17:39

O ronco gutural do V6 3.5 não é uma combinação natural para um híbrido beberrão, mas cai como uma luva para um 'brazen grand coupe’ de passeio no estilo ultramoderno e com um preço correspondente. Este, talvez, seja o caminho do futuro;  um carro que é menos em relação as credenciais compatíveis com o seu meio ambiente e mais sobre a capacidade dinâmica em massagear ego. Um muito rápido test drive do NSX da Honda deixou os jornalistas no Japão, antes do show de Tóquio, querendo mais.

Duas voltas em uma pista de testes no campo de provas de Tochigi, da Honda, não foi nada que seja parecido com suficiente para explorar plenamente o muito aguardado carro esporte híbrido da marca japonesa, o NSX.  Mas foi o suficiente para deixar os seis jornalistas, que experimentaram, com sorrisos largos.

O motor turbo V6 arranca com um quase rudimentar latido de um carro de corridas, exatamente como um Jaguar V8 ou uma Mercedes-Benz AMG maquiada – e ele transmite não somente uma sugestão de parcimônia em economia de combustível na medida em que coloca você de volta no assento em aceleração máxima, a transmissão de dupla embreagem de nove marchas conduzindo a ‘orquestra’ com competência e sem estardalhaço.

Duas unidades do NSX foram disponibilizadas para testes. Uma delas era com o volante do lado direito usando emblemas Honda, mas eu dirigi a versão Acura com volante à esquerda.  Ambos os carros foram limitados a 180km/h em torno da pista, que era restritiva além do necessário, dado a tração dianteira do Jade wagon de 1.5, para o mercado chinês, ter sido bem estabelecida na menor faixa da pista demarcada a uma velocidade indicada de 183km/h.

A transmissão já mencionada é operada por botões localizados no centro do console, utilizando uma nova configuração que a Honda planeja introduzir em outras linhas de carros nos próximos anos. É muito simples de usar, mas sinaliza que a Honda está se juntando à Ferrari na liga de carros esportivos de alto prestígio que aboliram a terrivelmente arcaica alavanca de velocidades.

É evidente que o NSX foi altamente estável na entrada de cada curva. A compostura do carro foi uma peculiaridade em termos de segurança de dinamização, auxiliada em grande parte pela vetorização de torque disponibilizada pelos dois motores elétricos dianteiros. Na medida em que o carro detectava uma perda de aderência dianteira, não importando a rapidez, um motor proporcionava torque adicional para o lado externo das rodas dianteiras direcionando o carro mais para a curva - muito parecido com o diferencial ATTS do coupe Prelude da empresa a partir de 1997.

Como um bônus, este admirável carro elétrico ofereceu a sensação de condução tátil em velocidade, mas a sobrecarga poderia ser sinalizada em baixas velocidades optando por um dos modos de operação que mudam a assistência de direção e os parâmetros operacionais do sistema de transmissão. Este sistema possibilita vários modos diferentes, entre eles o Sport +, Sport, Normal, EV e o Quiet.

No modo Sport (e no modo mais arrojado Sport+), as borboletas de mudança poderiam ser usadas para maior travagem do motor, embora a travagem regenerativa tenha, de qualquer maneira, resultado em um grau significativo.

Por trás do volante, o NSX é como qualquer outro Honda - boa posição de condução que é rápida e facilmente selecionada, juntamente com assentos justos, mas confortáveis. As subidas provaram estar longe de representar qualquer problema ou desafio, apesar do NSX ser um carro com baixo centro de gravidade e de apenas duas portas.

Obviamente, há pouco a aprender sobre a condução do carro e NVH (noise, vibration, and harshness) e  detonar em uma pista de testes, mas apesar do diluído berro abaixo do motor, o NSX é tranqüilo. Uma avaliação mais aprofundada do carro terá que esperar por um lançamento de mídia completo. O que fica evidente mesmo neste rápido teste é que o NSX passa mais a sensação de um real coupe esportivo de passeio do que o BMW i8.

Cada detalhe neste carro parece perfeito também. Ele é rápido e eficiente, mas também prático para o dia a dia. É possível que o seu único 'defeito' seja a falta de nervosismo inacabado de alguns carros esportivos de potencial e desempenho similar.

A decisão da Honda por híbrido provavelmente não trará mais vendas, mas é respeitável fazê-lo  – e não custará nada à companhia sendo o NSX tão bom.

Consulte preços de carros novos e usados na Tabela Fipe e WebMotors.

Motoring Autor

O Motoring é responsável pelo conteúdo editorial do Carsales, principal site de classificados online de veículos na Ásia e Oceania. Eles testando um carro que tem chances de ser vendido no Brasil, você ficará sabendo todas as informações aqui na WebMotors

Matérias relacionadas