Newsletter
Share

Redes Sociais

Honda Civic Sport MT

Honda Civic

Marca/Modelo

R$ 87.900 / R$ 87.900

Versão Base / Versão Testada

2.0 L/ 16V/ i-VTEC

Motor

Câmbio

9.0

Overview

Se falarmos apenas do carro, temos um ótimo produto. O sedã é espaçoso e confortável para a família e conta com um powertrain de respeito para alegrar o motorista. Mas o preço próximo à casa dos R$ 90 mil torna um veículo de câmbio manual um negócio de baixo custo-benefício.

Encontre o carro ideal para o seu bolso!

Honda Civic Sport manual é ótimo, mas não se banca

Câmbio é o ponto alto do sedã confortável e gostoso de guiar, mas preço de R$ 87.900 mina seu custo-benefício

WM1 / 05/02/2017 às 11:00atualizado 06/02/2017 às 10:43

Admiradores de um bom câmbio manual, este texto é para vocês. Com seis engates curtos, precisos e dispostos por meio de uma manopla também de medidas reduzidas, a transmissão do Honda Civic Sport parece conter um ímã que faz você não querer mais parar de escalonar.

O componente oferecido somente na versão de entrada do sedã médio inspira prazer, mas não chega ao ponto de emanar esportividade. Legado da geração anterior do modelo, ele continua impondo relações um tanto longas ao motor 2.0 16V i-VTEC de 150/155 cv entregues em 6.300 giros. 

O torque também tarda a aparecer em sua plenitude. Os 19,3/19,5 kgf.m são despejados a 4.700/4.800 rpm (sempre na ordem gasolina e etanol). Tal característica torna o sedã preguiçoso em baixas rotações, ainda mais quando o botão ECON está ativado. Ele otimiza o processo de combustão e do ar-condicionado a fim de poupar combustível. Em contrapartida, o propulsor é vigoroso em retomadas de alta velocidade.

A sexta marcha (Overdrive) não pede para aparecer. É necessária apenas em busca de melhor consumo de combustível na estrada. Neste cenário, o Civic faz 13,4 km/l com gasolina e, 9,3 km/l, com etanol. Já no perímetro urbano o desempenho é de 10,2/7,1 km/l, segundo o Inmetro.

Fechando os elementos do powertrain, temos uma suspensão confortável e bastante segura. Independente e com barras estabilizadoras nas quatro rodas, ela tem configuração McPherson no eixo dianteiro e multi-link no traseiro. Com disco de freio nas quatro rodas, o sedã é estável em curvas em alta.

Soma-se a isso a disponibilidade de itens de segurança como assistente de tração e frenagem, alarme de segurança com imobilizador, freios ABS com EBD (antitravamento com distribuição da força de frenagem para todas as rodas), estrutura de deformação progressiva e seis airbags.

Em termos de dirigibilidade, a verdade é que o Civic Sport agrada sem tirar os pés do chão. Um rastro de ousadia passa somente pela grade com acabamento preto (no lugar do cromado das demais versões), além de rodas de aro 17” com acabamento escurecido que deixam o sedã com cara de bandido.

PowerTrain
PowerTrain

PowerTrain

Desempenho
Desempenho

Desempenho

Dimensões
Dimensões

Dimensões

Dinâmica
Dinâmica

Dinâmica

Capacidades
Capacidades

Capacidades

Ode ao câmbio manual
A caixa manual de seis marchas tem manopla compacta em posição alta. Com relações curtas e escalonamento preciso, o componente é o diferencial da versão.
Consumo Cidade
13,4 km/l (G)
Consumo Cidade
10,2 km/l (E)
Consumo Estrada
9,3 km/l (G)
Consumo Estrada
7,1 km/l (G)
Não empolga
Embora o câmbio seja fantástico, o propulsor atua em regime de altas rotações e não empolga. No entanto, é econômico para um bloco de alta litragem.
Família feliz
O modelo tem dimensões superiores à concorrência na maioria dos quesitos. Tem espaço de sobra para as pernas de quem vai atrás.
Segurança e estabilidade
Moderna e de acerto confortável, a suspensão atua com estabilidade em altas velocidades
Porta Malas
525 Litros
Tanque de Combustível
56 Litros
Ocupantes
5
Carga útil
Não disponível
Destaque
Os 525 litros tornam o bagageiro um destaque do sedã

Preço é empecilho

Mas nem pense em comparar esta versão com um Civic Si. Falamos nesta avaliação de um Civic convencional que tem personalidade estética e um câmbio singular, mas que apresenta-se como opção aos donos de City em ascensão e que precisam de espaço e conforto para a família, mas que não ligam em pagar R$ 87.900 em um sedã sem câmbio automático – a versão com transmissão CVT custa R$ 94.900.

Como a Honda sabe que esse público é ínfimo, destinará no máximo 5% da produção do Civic para o modelo manual. Embora o Sport tenha lista de itens de série cheia (conforme listaremos à frente), não há sustentação para ser uma opção de compra de brilhar os olhos. Por mais R$ 3.890, é possível comprar um Chevrolet Cruze (com motor 1.4 turbo e câmbio automático) de totais R$ 91.790.

Outra opção mais em conta entre os sedãs médios é a dupla da PSA. O Peugeot 408 sai por R$ 85.780, enquanto o Citroën C4 Lounge vale R$ 82.490, ambos equipados com motor 1.6 THP (turbo) e transmissão automática de seis velocidades.

Vantagens

A seu favor, o Civic Sport oferece pacote de itens de série variado, embora vacile em não disponibilizar bancos de couro, central multimídia maior e com tela sensível ao toque, nem detalhes de design interno típicos de versões com apelo esportivo. A lista inclui direção elétrica, ar-condicionado digital, sistema de entretenimento com tela de 5 polegadas, controle de cruzeiro, faróis de neblina, DLR (luzes diurnas em LED), lanternas traseiras em LED, sistema Isofix e câmera de ré.

Também mostra-se vantajosa a apólice de seguro da versão. É possível encontrar cotação de R$ 2.769 no AutoCompara, levando em consideração o perfil de homem, casado, com 45 anos e que tenha garagem no trabalho e no apartamento com CEP na Zona Sul de São Paulo.

Preço das Revisões Periódicas

10.000 km ou 12 meses

R$ 244,50

20.000 km ou 24 meses

R$ 389,83

30.000 km ou 36 meses

R$ 433,50

40.000 km ou 48 meses

R$ 980,21

50.000 km ou 60 meses

R$ 433,50

60.000 km ou 72 meses

R$ 1.241,04

Ponto final

Mesmo assim, o Civic Sport manual é uma opção com viabilidade pouco sustentável. A boa oferta de componentes de série, o powertrain competente e o espaço de sobra para a família – estamos falando de um sedã de 4,63 metros e porta-malas de 519 litros – poderiam ser melhor defendidos com um preço mais em conta. Conforme mostramos, há alternativas que fazem mais sentido em um patamar entre R$ 80 mil e R$ 90 mil.

Contudo, o câmbio de seis marchas é referência de qualidade e merece honrar um status de referência para os entusiastas de uma boa caixa manual. Seria legal manejá-lo em conjunto a um propulsor de torque entregue em rotações menores (seja ele aspirado ou turboalimentado). 

Ponto a Ponto

Score

Se falarmos apenas do carro, temos um ótimo produto. O sedã é espaçoso e confortável para a família e conta com um powertrain de respeito para alegrar o motorista. Mas o preço próximo à casa dos R$ 90 mil torna um veículo de câmbio manual um negócio de baixo custo-benefício.
9.0

Média opinião do dono