Newsletter
Share

Redes Sociais

China tem nova solução para recarga de elétricos

Em vez de recarregar carro em casa, solução propõe substituição de um kit com oito baterias

WM1 / 29/04/2017 às 12:15

Um dos obstáculos que afasta o consumidor dos carros elétricos está relacionado à recarga da bateria. Diversas metrópoles ainda não têm infraestrutura para oferecer postos de reabastecimento nas ruas e a maioria das casas não possuem interruptores compatíveis com as tomadas dos veículos. Na China, uma alternativa que vem ganhando adesão é fazer a troca da bateria em estações especiais de recarga.

Cerca de 600 mil chineses estão cadastrados no sistema que foi criado pela Panda, uma empresa que pertence à Lifan. O usuário leva o carro a um dos 50 postos da marca e a substituição da bateria não leva mais do que 3 minutos. O custo pelo serviço é de 130 yuans, o equivalente a R$ 60.

Esta operação vale somente para dois modelos elétricos da Lifan que estão disponíveis somente para aluguel. Um deles é o sedã 650EV, mas o mais popular é o 330EV, que nada mais é do que a nova geração do 320, aquele “MINI chinês” que foi lançado no Brasil em 2010. Para ficar com o carrinho de apenas 34 cv por uma hora é cobrado 19 yuans, que equivale a R$ 8,70. A diária custa R$ 60.

É possível localizar onde há carros disponíveis por meio de um aplicativo gratuito. Cada um leva um conjunto de oito baterias que dão uma autonomia de 160 quilômetros, no caso do 330. A Lifan calcula que 3.500 kits de baterias são trocados diariamente na China, sendo 2.800 só em Chongqing, cidade onde o serviço foi inaugurado.

A Lifan ainda não tem uma estimativa de crescimento do serviço a curto prazo, mas espera desenvolver a experiência e leva-la para outros países em breve. E você, acha que este sistema funcionaria bem no Brasil?

Viagem a convite da Lifan Motors do Brasil.

Quando deixa um pouco de lado a carreira brilhante como piloto de Gran Turismo e Fórmula 1 (no Playstation), faz cobertura diária do setor automobilístico. Muscles cars e clássicos dos anos 1990 são as máquinas prediletas.

Matérias relacionadas