Na versão Hellcat, a mais potente da história,

Ideia é bombar a Dodge a partir do fim do 1º semestre do próximo ano

WM1 / 02/12/2015 às 00:00atualizado 10/07/2016 às 14:48
Arquivo

A notícia é melhor do que imaginávamos. Em janeiro, durante a cobertura do Salão de Detroit, nos Estados Unidos, a WebMotors antecipou que a Dodge já tinha planos concretos para trazer o Challenger Hellcat – inclusive já tinha uma unidade em testes no Brasil. Pois é. Ao que tudo indica, não apenas o Challenger está com visto de trabalho para o Brasil, mas também o Charger Hellcat.

De acordo com informações de pessoas ligadas à marca, a ideia da FCA (Fiat Chrysler Automobiles) é bombar a Dodge por aqui. E nada melhor do que trazer os dois estúpidos da marca – estamos falando das versões do Challenger e do Charger mais potentes produzidos em série da história, com motor 6.2 V8 de 707 cv de potência máxima.

Sempre esteve no radar da Dodge trazer o Challenger. Em 2010, por exemplo, no estande da Chrysler uma unidade do musclecar norte-americano estava presente e executivos da marca já falavam que a venda em solo brasileiro já estava em estudo. O Charger, por sua vez, nunca sequer tinha sido cogitado. Até agora...

As primeiras unidades, se a programação da Dodge for cumprida milimetricamente, devem chegar entre o final do primeiro e início do segundo semestre de 2016. E o único vilão que pode afastar mais uma vez estes mitos do nosso mercado é outra forte desvalorização do Real frente ao Dólar. Dentro do cenário econômico atual, a manutenção do atual patamar é ideal, mas a marca trabalha com a possibilidade de uma leve alta da moeda norte-americana frente à nossa.

Em janeiro, quando noticiamos as intenções da Dodge, informamos também que uma unidade do Challenger Hellcat estava no Brasil a pedido do então presidente da FCA para a América Latina, Cledorvino Belini.

Consulte preços de carros novos e usados na Tabela Fipe e WebMotors.

Jogador de futebol frustrado, resolveu ser jornalista para escrever sobre tudo que tivesse motor, fizesse (muito ou pouco) barulho e fosse possível de pilotar. Aficionado por superesportivos e clássicos, pensa agora acelerar também sobre duas rodas...

Matérias relacionadas