Newsletter
Share

Redes Sociais

VW terá SUV compacto para o Brasil

VW confirma venda de SUV compacto no Brasil

Sem falar em data, presidente da marca afirmou que o design do modelo já foi aprovado

WM1 / 04/10/2016 às 18:30

A Volkswagen não tem visto com bons olhos a enxurrada de SUVs compactos da concorrência no mercado brasileiro. O presidente da marca para a América do Sul, David Powels, confirmou que a marca planeja a venda de um utilitário no país para competir com Honda HR-V, Jeep Renegade e Nissan Kicks.

A afirmação foi feita em conversa com jornalistas brasileiros que fazem a cobertura do Salão de Paris, que ficará aberto ao público até o dia 18. Porém o executivo não revelou quando o modelo estará disponível no país. “Com certeza teremos um representante entre os SUVs compactos, mas não vou falar quando. O design do veículo já foi aprovado”, afirmou o executivo.

Na Europa, os SUVs compactos se tornaram este ano a categoria mais vendida no continente. Por lá, um entre cada quatro veículos zero quilômetros vendidos pertencem ao segmento.

Ainda não está claro se a marca pretende produzir o modelo por aqui ou trazê-lo como importado. Certo é que não terá semelhança e nem tamanho do conceito Taigun, que foi mostrado ao público brasileiro no último Salão de São Paulo, há dois anos.

É provável que o SUV da VW utilize a plataforma MQB, que já está presente em alguns modelos compactos e médios da marca, inclusive no Golf montado no país.

Sem elétrico

A maior estrela do estande da VW no Salão de Paris, um conceito elétrico (ID), autônomo, com capacidade de rodar mais de 600 quilômetros sem precisar de recarga na bateria previsto para ser vendido na Europa em quatro anos, está bem mais distante do Brasil.

Powels acredita que este tipo de veículo ainda demora para chegar por aqui. “Modelos elétricos e híbridos demoraram um pouco mais para serem realidade no país”, explicou.

Market Share

A VW espera recuperar mercado com volta da normalização de produção de veículos no país. Um problema com fornecedores fez com que a marca deixasse de produzir 150 mil carros este ano.

“Infelizmente faltou peça para produzir carros. Encerramos o contrato com quatro fornecedores e regularizamos o fornecimento de peças. Em outubro e novembro vamos produzir 50 mil carros por mês, contra 35 mil em agosto”, concluiu.

 

Viagem feita a convite da Anfavea

Editor, amante dos carros desde criança e colecionador de revistas automotivas. Seu passatempo preferido é viajar de carro ouvindo um bom rock. No mundo automotivo, tem uma queda pelas peruas e pelos esportivos. Quando não está fuçando sobre carros tenta a sorte nas quadras de tênis

Matérias relacionadas