Moto Guzzi volta ao passado com a linha V9

Modelos fazem releitura das clássicas fabricadas pela marca italiana na década de 1970.

WM1 / 29/12/2015 às 11:48atualizado 10/07/2016 às 14:47
Arquivo

Antenada às novas tendências e gostos dos motociclistas, a italiana Moto Guzzi se rendeu ao estilo retrô e apresentou no último Salão de Motos de Milão (Eicma 2015) a nova família vintage V9. Os dois modelos - a V9 Bobber e a V9 Roamer – estão equipados com um novo motor de dois cilindros em “V” e 850 cm³ de capacidade. Ambos trazem de série controle de tração e freios com sistema antitravamento (ABS). A diferença entre elas fica por conta da roupagem e estética.

Vestida em tons foscos, a Bobber incorpora estilo jovial e agressivo, enquanto a Roamer traz contornos mais clássicos, muito similar aos padrões usados na Ducati Scrambler. Minimalistas, as motos resgatam a própria história da marca de Mandello del Lario (Itália), e seus modelos fabricados na década de 1970.

O “jeitão” dark da Bobber se reflete nas canelas da suspensão, escapamento, motor, molas dos amortecedores e para-lamas pintados em preto. Tudo com muito aço e alumínio, com destaque para o tanque de combustível em forma de gota. Para completar, a moto usa rodas de liga leve de 16 polegadas calçadas com pneus “balão” 130/90 (D) e 150/80 (T).

Já a V9 Roamer é inspirada na Nevada 750, modelo com mais de 20 anos. Como diferencial, a Roamer traz pneu dianteiro mais fino (100/90), com roda aro 19. A moto classica da Guzzi está disponível em apenas duas tonalidades de cor: branco ou amarelo e oferece, como opcional, a função que “espelha” as informações do computador de bordo no smarthphone. Na Itália, a moto será concorrente direta das linhas retrô fabricadas por Ducati, Triumph e, claro, Harley.

Leve, o novo chassi de dupla trave inferior “amarra” o motor e toda a parte ciclística. Na dianteira, garfo telescópico tradicional com tubos de 41 mm e disco simples de 320 mm com pinça de quatro pistões. Já na parte traseira, duplo amortecedor com múltiplas regulagens e disco simples de 260 mm mordido por pinça com duplo pistão. O sistema de freios ABS é de série em ambas as rodas.

Motor novo e tecnologia

Totalmente novo, o propulsor da linha V9  é um bicilíndrico em “V” a 90ª, instalado na transversal, marca registrada da Moto Guzzi. Com 850 cm³, este motor produz 55 cavalos a 6.250 giros de potência máxima e 6,0 kgf.m de torque já a 3.000 rpm. Apesar da pouca potência, a moto compensa com força de sobra em baixas e médias rotações. Em ambas, o tanque tem capacidade para 15 litros.

Além do ABS, a moto conta com alguns outros aparatos eletrônicos: controle de tração ajustável (e que pode ser desativado) e porta USB para carregar o smartphone ou outro aparelho eletrônico como, por exemplo, um GPS. A marca oferecerá ainda uma completa linha de acessórios para moto e também para os motociclistas.  O preço da linha V9 não foi definido pela Moto Guzzi.