Newsletter
Share

Redes Sociais

Motor 1.0 mais potente do Brasil chega em julho

Propulsor EcoBoost tem 125 cv e injeção direta de combutível

WM1 / 25/05/2016 às 12:20atualizado 10/07/2016 às 14:42

A Ford apresentou nesta quarta-feira (25) o novo motor EcoBoost 1.0 turbo a gasolina, que equipará o New Fiesta a partir de julho. Premiado internacionalmente, o propulsor tem três cilindros, rendimento de 125 cv e trabalha em conjunto com a transmissão automatizada PowerShift de seis velocidades. Desta forma, o propulsor passa a ser o 1.0 litro mais potente do Brasil.

O pico de potência é entregue a 6.000 rpm, enquanto o torque de 17,3 kgf.m é desenvolvido entre 1.400 e 4.500 giros. Fruto do conceito de downsizing, que consiste em oferecer alta potência em blocos de baixa litragem, o novo propulsor tem duplo comando de variável de válvulas, turbocompressor que suporta até 1.5 bar de pressão, injeção direta de combustível, além de correia banhada a óleo e arrefecimento com duas válvulas termostáticas.

Em termos de desempenho, o EcoBoost impulsiona o New Fiesta aos 100 km/h em 9,6 segundos a partir da inércia. Isso significa que ele é 20% mais rápido do que o 1.6 PowerShift, que cumpre o desafio em 12,5 s.

Num primeiro momento, o novo motor equipará as versões mais caras do hatch, mas a Ford admite que a novidade pode ser expandida em sua gama de veículos no Brasil. No exterior, a família EcoBoost tem sete opções de litragem que equipam, inclusive, versões de Focus e EcoSport. Por aqui, ele só estava disponível na versão 2.0 no sedã Fusion.

NÃO É FLEX

Apesar de moderna, a motorização 1.0 turbo já não é novidade no Brasil. No ano passado, a Volkswagen lançou o up! TSI, enquanto a Hyundai adotou a mesma estratégia recentemente com o HB20 Turbo. No entanto, ambos os propulsores de 105 cv têm configuração flex, ao contrário do EcoBoost.

A estratégia da Ford é que os consumidores que não abram mão da tecnologia flex continuem tendo a opção de adquirir o New Fiesta 1.5 ou 1.6, que serão mantidos na linha. Desta forma, a versão 1.0 turbo passa a ser mais cara e de nicho. Aliás, o motor EcoBoost será importado da Romênia e não deve render muito volume.  

CONSUMO

A Ford também não detalhou os dados de consumo do novo motor. Deixou claro apenas que ele é 20% mais econômico e 15% mais eficiente no nível de emissões em relação ao New Fiesta 1.6 e outros concorrentes da mesma litragem.

A fabricante não divulgou também qual o peso do novo conjunto. Esclareceu apenas que ele é feito com bloco de ferro fundido, cárter de alumínio, bomba de óleo variável, coletor integrado ao cabeçote, também em aluminío, em uma só peça.

Tags

Quando deixa um pouco de lado a carreira brilhante como piloto de Gran Turismo e Fórmula 1 (no Playstation), faz cobertura diária do setor automobilístico. Muscles cars e clássicos dos anos 1990 são as máquinas prediletas.

Matérias relacionadas