Newsletter
Share

Redes Sociais

civic_2012

Veja cinco sedãs médios seminovos por R$ 50 mil

Selecionamos opções com até cinco anos de uso e quilometragem de baixa para média dos carros mais vendidos da categoria

WM1 / 27/05/2017 às 23:45atualizado 29/05/2017 às 06:56

Sedãs médios são automóveis desejados pelo conforto, pelo bom espaço interno, especialmente no porta-malas, e pelo status que proporcionam aos seus proprietários. Se você quer colocar um modelo zero-quilômetro dessa categoria na garagem, hoje é preciso pagar cerca de R$ 80 mil ou mais pela versão de entrada.

Porém, com R$ 50 mil na mão dá para encontrar exemplares com quatro ou cinco anos de uso e quilometragem de baixa para média, bem equipados e em bom estado de conservação. Dá para encontar dando uma boa pesquisada no mercado de usados e seminovos.

Selecionamos os cinco sedãs mais vendidos de janeiro a abril deste ano e apresentamos aqui o que você pode comprar pagando em torno de R$ 50 mil, ou seja, quase a metade do que você gastaria se comprasse um carro novo, dependendo do modelo e da configuração escolhida, todos com airbag duplo, ABS e câmbio automático, opcional ou de série. Confira.

 

Toyota Corolla

Sedã médio mais vendido do Brasil e carro mais comercializado no mundo, o Corolla atrai pelo bom valor de revenda, pela mecânica robusta e pela rodagem confortável. Com R$ 50 mil no bolso, dá para colocar na garagem um exemplar da versão GLi modelo 2012 automático com cerca de 40 mil km rodados. Neste ano, o Corrola ganhou motor 1.8 flex mais potente, com 144 cv ante 136 cv do modelo 2011. A safra 2012 é a última a ser reestilizada antes da chegada da atual geração ao Brasil, em 2014, ganhando nova grade, novo para-choque dianteiro e lanternas traseiras remodeladas. Faltam controles de tração e estabilidade, indisponíveis nem como opcionais (o equipamento de segurança virou item de série a partir de 2014), mas a configuração GLi é bem equipada: traz ar-condicionado digital de uma zona de temperatura, direção elétrica, volante com comandos do som integrados e ajustes de altura e profundidade e rodas de liga leve de 16 polegadas. Nessa versão, a transmissão pode ser manual de seis marchas ou automática de quatro velocidades. A capacidade do porta-malas é de 470 litros. Com esse dinheiro, também dá para comprar um Corolla XEi mais rodado, que conta com motor 2.0 flex de 153 cv, transmissão automática, bancos de couro, controle de velocidade de cruzeiro, faróis de neblina e lanternas traseiras iluminadas por LEDs.

Honda Civic

Com R$ 50 mil, é possível encontrar um Honda Civic modelo 2013 LXS automático com cerca de 40 mil km rodados. Nessa configuração, o segundo sedã médio mais vendido da atualidade traz sob o capô o motor 1.8 flex de 140 cv, com transmissão automática ou manual, sempre de cinco velocidades (a partir da linha 2013, o câmbio manual é de seis velocidades). A versão LXS, a mais básica do modelo neste ano, também não conta com controles de tração e estabilidade como o Corolla, mas oferece alarme, Isofix, ar-condicionado automático, computador de bordo, som com USB e controles integrados ao volante, volante revestido de couro e com ajuste de altura e rodas de liga leve de 16 polegadas, dentre outros itens. Pelo mesmo preço, dá para encontrar unidades da versão esportiva Si modelo 2008, com cerca de 100 mil km rodados. Nessa configuração, o Civic tem um temperamento ainda mais dinâmico que o convencional, com suspensões mais rídidas e motor 2.0 de 192 cv, comandado pelo câmbio manual de seis marchas. O porta-malas tem capacidade para 440 litros.

Chevrolet Cruze

O Cruze ganhou a segunda geração há cerca de um ano, mas a primeira é relativamente recente, lançada aqui em setembro de 2011. Com R$ 50 mil, dá para comprar uma unidade modelo 2013 com cerca de 50 mil km rodados e transmissnao automática da versão LT, que conta com controles de tração e estabilidade de série, bem como rodas de liga leve aro 17, central multimídia MyLink com tela sensível ao toque, Isofix, ar-condicionado com ajuste eletrônico de temperatura e sistema de som com Bluetoot e comandos integrados ao volante. Dá para encontar um Cruze LTZ mais rodado por esse valor, que acrescenta ao pacote de equipamentos de série câmbio automático, airbags laterais e de cortina, somados ao airbag frontal da versão LT, e bancos de couro cinza. Ambas as configurações têm motor 1.8 flex de 144 cv e a transmissão, seja manual ou automática, de seis marchas. O porta-malas pode levar até 450 litros de bagagens.

Ford Focus Sedan

O quarto sedã médio mais vendido da atualidade pode ser adquirido por R$ 50 mil, valor suficiente para uma unidade modelo 2014 da versão S com cerca de 20 mil km. Pagando um pouco mais ou optando por um carro de mais quilometragem, dá para fechar negócio na configuração SE, mais equipada. Ambas contam com o motor 2.0 DirectFlex lançado na linha 2014, que conta com injeção direta de combustível e tem 178 cv de potência – 30 cv a mais que o 2.0 bicombustível da linha 2013. A transmissão é sempre a Powershift automatizada de dula embreagem e seis velocidades, que, se não apresentar problemas (esse câmbio chegou a motivar um recall informal da Ford), proporciona trocas de marchas muito rápidas. O Focus Sedan S traz de série rodas de liga leve de 16 polegadas, controles de tração e estabilidade, direção elétrica, ar-condicionado, sistema de com com comandos de voz e Bluetooth, Isofix e volante multifuncional. A versão SE traz quatro airbags, central multimídia com tela de 4,2 polegadas, bancos de couro, sensores traseiros de estacionamento e controle de velocidade de cruzeiro. O porta-malas leva 421 litros.

Volkswagen Jetta

Como o Honda Civic, o Jetta tem um comportamento mais esportivo que a média do segmento, muito por conta do ajuste de suspensões um pouco mais rígido. Por R$ 50 mil, você pode levar uma unidade modelo 2013 com aproximadamente 50 mil km da versão Comfortline automática. Essa versão traz alarme volumétrico, sensores de estacionamento dianteiros e traseiros, decansa-braço central, controles de tração e estabilidade, airbags frontais e laterais, com com Bluetooth, USB e comandos integrados ao volante e porta-malas com iluminação, dentre os destaques. Procurando bem (e eventualmente pagando um pouco mais), você acha exemplares dessa versão com itens opcionais, como sensores de chuva e crepuscular e ar-condicionado digital com dois ajustes independentes de temperatura. A configuração Comfortline 2013 não chega a empolgar quanto ao desempenho com seu motor 2.0 flex aspirado de 120 cv, bem abaixo da média da categoria, mas pelo mesmo preço dá para adquirir um Jetta 2011 TSI Highline bem mais rodado, mas com propulsor 2.0 turbo de 200 cv e transmissão automatizada DSG de dupla e embreagem e seis marchas – com motor aspirado, o câmbio é manual de cinco marchas ou automático de seis velocidades com conversor de torque. A capacidade do porta-malas é de 510 litros, uma das maiores do segmento.

Com combustível de alta octanagem correndo pelas veias, a equipe de jornalistas do WM1 está sempre acelerando em busca das informações mais relevantes para quem está à procura do melhor negócio ou é apenas mais um aficionado por carros!

Matérias relacionadas