Fevereiro confirma crise no mercado automotivo

Mês passado foi o pior fevereiro desde 2008, quando vivíamos o auge da crise

WM1 / 02/03/2015 às 13:00atualizado 10/07/2016 às 15:00
Arquivo

Lembra da crise de 2008, que atingiu em cheio a indústria automobilística e levou ao fechamento de lojas por todo o País? Pois as vendas de carros e comerciais leves no mês passado só foram melhores do que as daquele fatídico mês de fevereiro de 2008, auge da crise.

As vendas fracas, somadas ao reduzido número de dias úteis por causa do Carnaval, fizeram de fevereiro o pior mês dos últimos seis anos e meio: foram vendidas apenas 179.221 unidades; pela primeira vez desde fevereiro de 2009 as vendas não alcançaram o patamar das 200 mil unidades. No auge da crise, em novembro de 2008, o setor vendeu 166.277 carros.

Mesmo com apenas 17 dias úteis (as fábricas não trabalharam nos três dias de Carnaval e o Detran não registrou licenciamentos), a média diária de vendas também foi a pior dos últimos anos. Com 10.542 carros vendidos por dia, fevereiro só superou a venda diária de janeiro de 2010, quando foram comercializadas 10.086 unidades por dia.

A queda em relação a janeiro (243.829 unidades) foi de 26,5% e em relação a fevereiro do ano passado (que é a comparação mais adequada) as vendas caíram 27,1%: naquele mês foram vendidos 245.931 carros.

Nas vendas acumuladas este ano (janeiro + fevereiro), a queda já é de 22,5% em relação ao primeiro bimestre de 2014.

POR MARCAS
A Fiat confirmou a liderança fechando fevereiro com 35.840 unidades e 20,1% de participação, mas o segundo lugar mudou de dono: ficou com a Volkswagen, que vendeu 30.992 carros e ficou com 17,3%, deixando a Chevrolet em terceiro, com 15,7%. A Ford manteve a quarta posição, ficou acima dos 10% (10.5%), com 18.830 unidades.

A Hyundai se distanciou das concorrentes, ficando com 7,3% no mês, contra 6,4% da Toyota e 6,2% da Renault, que caiu para o sétimo lugar. Honda, Nissan e Mitsubishi fecharam a lista das dez marcas mais vendidas em fevereiro.

 

Tags